Notícias
Faturamento, atividade e emprego industrial têm alta em novembro
02/02/2013 - Faturamento, atividade e emprego industrial têm alta em novembro

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou nesta quinta-feira (17) que o faturamento industrial avançou em novembro deste ano, assim como o emprego, as horas trabalhadas na produção (indicador relacionado com o nível de atividade) e o uso do parque fabril. A última vez que todos os indicadores haviam subido foi em fevereiro de 2011.


Para o economista da entidade, Flavio Castelo Branco, "ainda não se materializou retomada mais expressiva da indústria". De acordo com ele, os estoques da indústria estão mais próximos do nível desejado pelos empresários industriais. "Com isso, a atividade industrial tende a ficar mais próxima da demanda, que está menor por conta das importações, em 2013", avaliou ele."Os indicadores industriais referentes ao mês de novembro apontam tendência lenta de recuperação da atividade industrial. Todos os indicadores dessazonalizados registraram crescimento, mas a maioria ficou perto da estabilidade", avaliou a CNI.

Indicadores
No caso do faturamento da indústria, a entidade revelou que a alta em novembro, frente ao mês anterior, foi de 2,5%. Com isso, o indicador, que voltou a crescer após dois meses de queda, teve a maior expansão desde agosto de 2012 (+4,7%). De acordo com a CNI, o faturamento cresceu em 13 dos 19 setores pesquisados.

Sobre o emprego industrial, a taxa de elevação, em novembro deste ano, foi de 0,2%. Este foi o terceiro mês consecutivo de alta no emprego da indústria. Já as horas trabalhadas na produção avançaram também 0,2% no mês retrasado. "Apesar de o crescimento ter sido fraco, esse foi o segundo mês de alta", observou a entidade.

O uso do parque fabril da indústria (capacidade instalada), ainda de acordo com a CNI, subiu de 81,2% em outubro para 81,4% em novembro - indicador dessazonalizado. Trata-se do maior patamar desde março de 2012 e está, também, no mesmo valor de novembro do ano anterior (2011).

Rendimento médio na indústria
Os dados da CNI mostram ainda um crescimento do rendimento médio do trabalhador da indústria de 3% em novembro e de 5,2% no acumulado dos onze primeiros meses de 2012. De acordo com a série histórica da entidade, a alta do rendimento médio, de janeiro a novembro do ano passado, é o maior da série histórica. "Isso tem a ver com a manutenção da demanda forte na economia como um todo, o que afeta os salários do setor de serviços e acaba se refletindo na indústria. Tem a ver também com a baixa oferta de mão de obra especializada", avaliou Castelo Branco, economista da CNI.

Acumulado do ano
No acumulado de janeiro a novembro de 2012, de acordo com a entidade, o faturamento da indústria subiu 2,8%. Mesmo com o aumento, este é o pior resultado para o período desde 2009 (na primeira etapa da crise financeira), quando houve queda de 5,9%.

No caso das horas trabalhadas na produção, o indicador registrou queda de 1,5% na parcial dos onze primeiros meses de 2012 - também o pior resultado desde 2009 (-8,7%), ao mesmo tempo em que o emprego industrial teve retração de 0,2% de janeiro a novembro do ano passado. Também é o pior resultado para o período desde 2009 (-3,5%).