Notícias
Presas 16 pessoas em 7ª fase da Leite Compensado no RS
04/12/2014 - Presas 16 pessoas em 7ª fase da Leite Compensado no RS
Empresas destinatárias que receberam o leite terão que prestar contas sobre o que foi feito com o leite adulterado.


Dezesseis pessoas foram presas durante a 7ª fase da operação Leite Compen$ado deflagrada na manhã desta quarta feira no Norte do Estado. Foram cumpridos 16 mandados de prisão e outros 17 de busca e apreensão em Erechim, Gaurama, Jacutinga, Machadinho, Maxilimiliano de Almeida e Viadutos. Uma pessoa é considerada foragida pela Justiça. O nome dos presos, no entanto, não foi divulgado pelo Ministério Público (MP).
 


Os 16 detidos responderão por associação criminosa e adulteração de produtos alimentícios. Todos serão encaminhados para o Presídio Estadual de Erechim. Na semana que vem, o MP vai retornar a cidade para fazer as oitivas dos presos. Ficou definido que a base de recebimento de leite da Cotrel passará por um regime especial de fiscalização sem prazo para reabrir. E a base de Jacutinga, foi interditada depois da ação desta quarta.
 
 


A fraude consistia na adição de água e sal ao leite por alguns produtores dos municípios de Machadinho, Maximiliano de Almeida e Viadutos. De acordo com a coordenação da operação, há 62 laudos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) constatando adulteração, entre outras irregularidades. Segundo a promotoria de Justiça do MP, depois de adulterado, o leite era entregue em dois postos de resfriamento em Erechim e Jacutinga. Conforme as investigações, os suspeitos de adulteração, tanto produtores quanto motoristas, adicionavam sal ao leite com água para ampliar o ponto de congelamento do líquido e mascarar a fraude. 
 


As empresas destinatárias que receberam o leite terão que prestar contas sobre o que foi feito com o leite adulterado. Segundo o MP, o leite era entregue em dois postos de resfriamento: Rempel & Coghetto Ltda, em Jacutinga, e Cotrel (Cooperativa Tritícola Erechim Ltda), em Erechim. 
 


A ação foi coordenada pelas promotorias de Justiça Especializada Criminal e de Defesa do Consumidor do Ministério do Público gaúcho, com o apoio da Brigada Militar (BM), Receita Estadual, Mapa e Ministério Público (MP) de Santa Catarina.
 
 

Destino dos leites da Cotrel


• DPA – Nestlé , em Palmeiras das Missões, Rio Grande do Sul;
• Cootal, Taquara, no Rio Grande do Sul; 
• Aurora, em Pinhalzinho, em Santa Catarina;
• Kerlac, Rio Fortuna, em Santa Catarina;
• Laticinios ME, em Coronel Vivida, no Paraná 
• Laticínio IPÊ.

Destino dos leites da Rempel & Coghetto Ltda

• BRF, de Teutônia, no Rio Grande do Sul


O que dizem as empresas


A Nestlé informa que garante a qualidade de todos os produtos que fabrica e isso é possível por meio de um rigoroso controle de qualidade aplicado a todas as matérias-primas utilizadas na fabricação destes produtos. Essa garantia de qualidade faz parte do dia a dia da companhia, que reforça seu compromisso e respeito com seus consumidores, clientes, fornecedores e público em geral.
 

Em relação ao leite fresco que adquire, a Nestlé vale-se de rigorosas análises laboratoriais, que realiza diretamente nos seus postos de coleta de leite. Nossos processos impedem a utilização, em nossas fábricas, de qualquer matéria-prima que não atenda aos mais altos padrões de qualidade.
 


Assim, como é de conhecimento dos nossos fornecedores, qualquer irregularidade na matéria-prima fornecida acarreta a sua imediata rejeição e consequente devolução por parte da Nestlé. Desta forma, a Nestlé assegura que todos os ingredientes utilizados na fabricação de seus produtos possuem o mais alto nível de qualidade.
 


São Paulo, 3 de dezembro de 2014. Assessoria de Imprensa da Nestlé Brasil
 
 

A Cooperativa Central Aurora Alimentos, em cumprimento aos seus pressupostos de transparência e fidelidade aos fatos, vem à público para esclarecer:
 
 


A Coopercentral Aurora, uma organização de natureza cooperativista com 45 anos de origem e atuação no Brasil, tornou-se um dos maiores grupos agroindustriais brasileiro, sustentando mais de 23.000 empregos diretos e tendo, em sua base associativa, 12 cooperativas de produção agropecuária que reúnem 67.000 famílias rurais cooperadas.

A Aurora Alimentos condena e repudia energicamente, conforme reiteradas manifestações públicas, a adulteração de leite fornecido para processamento industrial ou diretamente para consumo humano, conforme constatado por investigação do Ministério Público e da Polícia.


A Aurora Alimentos assegura aos seus clientes e consumidores que não industrializou leite adulterado porque realiza testes laboratoriais de qualidade em toda matéria-prima láctea apresentadas pelos seus fornecedores, adotando um sistema de controle que acompanha todas as etapas da produção industrial.

A Aurora foi a primeira empresa do mundo a adotar em 2010 um avançado sistema de rastreabilidade integral que inicia com a atividades de pecuária leiteira nas propriedades rurais e acompanha o produto, individualizado por unidade, até a mesa do consumidor, além de desenvolver o vasto Programa Aurora de Qualidade do Leite (PAQL) que capacita os produtores e assegura o emprego das melhores praticas de produção leiteira.
 


Em face das conclusões do Ministério Público do Rio Grande do Sul, a Cooperativa Central Aurora Alimentos decide:

a) Suspender o recebimento de leite da sua cooperativa filiada Cotrel até que sejam apuradas todas as responsabilidades civis e criminais, ocasião em que decidirá, em face das conclusões policiais e decisões judiciais, quais as medidas necessárias;
b) Convocar reunião extraordinária das indústrias lácteas juntamente com as diretorias da FIESC, FAESC, FETAESC, SINDILEITE, CONSELEITE, CIDASC, EPAGRI, EMBRAPA, Ministério da Agricultura, Secretaria de Agricultura para o dia 15 de dezembro deste ano, às 8 horas da manhã, na sede da FIESC em Florianópolis para análise da questão e adoção de medidas que incorporem toda a cadeia produtiva na busca de instrumentos que evitem a prática de delitos dessa natureza;
 
 

A Aurora reafirma seus compromissos com a sociedade brasileira de processar e industrializar a produção primária de leite e carnes, dando segurança empresarial e econômica ao cooperativismo e gerando mais de 850 produtos que formam um admirável e reconhecido mix de alimentos de alta qualidade que o País e o mundo consomem, apreciam e respeitam.
 


Chapecó (SC), 03 de dezembro de 2014. COOPERATIVA CENTRAL AURORA ALIMENTOS - Assessoria de Imprensa e Comunicação Socia